GEMMeeting 2018

Gaia – Espinho Medical Meeting

Vimos por este meio apresentar-vos o GEMMeeting – Gaia-Espinho Medical Meeting, encontro científico organizado pela aGe – Associação Médica de Gaia e Espinho.

Depois do sucesso das suas primeiras edições onde contaram com cerca de 200 participantes e reuniram à volta de 15 parceiros cada, o GEMMeeting 2018 realizar-se-á nos dias 13 e 14 de Setembro de 2018 e terá lugar no Fórum de Arte e Cultura de Espinho (FACE).

Estas jornadas terão como objetivo primordial a atualização de conhecimentos, formação de competências e discussão crítica de temas relevantes para a Medicina Geral e Familiar.

A comissão Organizadora

* Workshops com vagas limitadas ao espaço existente
Após efectivação da sua inscrição, saberá quais os workshop’s onde ficou inscrito, conforme a sua preferência e as vagas disponíveis no momento.

Data Limite de Inscrição: 03 de Setembro 2018

PROGRAMA CIENTÍFICO

MR 1 // Asma, DPOC e síndrome de sobreposição
Auditório

A Asma e a Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC) são doenças crónicas, com elevada prevalência na população geral. Ambas são caracterizadas por inflamação crónica e obstrução das vias aéreas. A Asma é uma doença caracterizada por obstrução das vias aéreas intermitente e geralmente reversível, desenvolvendo-se normalmente durante a infância. A DPOC inicia-se geralmente após a 4ª década de vida e, ao contrário da Asma, a obstrução das vias aéreas é normalmente irreversível e frequentemente progressiva. Quando Asma e DPOC ocorrem juntas, o termo Síndrome de Sobreposição Asma e DPOC tem sido usado.
Esta MR tem como objetivos realizar uma exposição prática da abordagem destas patologias, passando pelo diagnóstico, opções terapêuticas, seguimento, prevenção e critérios de referenciação, com foco em questões pertinentes para os cuidados de saúde primários.

Moderador
Prof. Dr. Jaime Correia Sousa
Médico especialista em MGF, presidente do Grupo IPCRG, membro do GRESP

Palestrante 
Dr. Rui Costa
Médico especialista em MGF, coordenador do GRESP

Palestrante
Dr.ª Inês Ladeira
Médica especialista em Pneumologia no CHVNG

MR 2 // (Re)pensar a eutanásia
Auditório

Eutanásia é uma palavra de origem grega, composta por “eu” (bom, verdadeiro) e “thanatos” (morte); em termos literais, eutanásia significa “boa morte”, remetendo para o ato de pôr um fim à vida de alguém, por solicitação, de modo a acabar com o seu sofrimento. Ultimamente, a nível nacional, temos assistido a um debate aceso sobre a questão da legalização da Eutanásia ou morte assistida. Agora, mais do que nunca, são várias as vozes que se juntam, de profissionais de saúde, políticos, religiosos e demais cidadãos, para expressarem a sua opinião face a um tema tão delicado e desafiante como este. Esta Mesa Redonda tem como principal objetivo reunir algumas destas vozes para, em conjunto, (re)pensarmos a Eutanásia.

ModeradorA
Dr.ª Isabel Ribeiro
Especialista MGF na USF Nova Via

Palestrante
Dr. Manuel Pizarro
Especialista de Medicina Interna no Hospital de São João. Vereador da Câmara do Porto

Palestrante
Prof. Alexandre Quintanilha
Antigo professor no Instituto Ciências Biomédicas Abel Salazar. Deputado

Palestrante
Dr. António Carneiro
Diretor clínico do Hospital da Luz Arrábida

Palestrante
Enf. Sónia Barbosa
Equipa Intra-Hospitalar de Cuidados Paliativos do CHVNG/E

MR 3 // Síncope
Auditório

A síncope é definida como uma perda transitória de consciência de início súbito, de curta duração e com recuperação completa espontânea, que é causada por hipoperfusão cerebral.
A verdadeira síncope pode ter, por si só, várias etiologias. No entanto, representa apenas um dos vários diagnósticos diferenciais de perda transitória de consciência, o que torna a sua abordagem inicial um desafio. O estabelecimento preciso e atempado do diagnóstico etiológico é essencial para uma abordagem adequada, prevenção de novos episódios e determinação do prognóstico.
Esta MR tem como objetivos esclarecer a abordagem da suspeita de síncope pelo médico de família, equacionando as suas principais causas, diagnósticos diferenciais e critérios de referenciação hospitalar.

Moderadora
Prof.ª Dr.ª Luciana Couto
Assistente Graduada Sénior de MGF e Professora Convidada do Departamento MEDCIDS da FMUP

Palestrante
Dr. Denis Gabriel
Interno de Neurologia no Centro Hospitalar do Porto

Palestrante
Dr. João Almeida
Cardiologista no CHVNG/E

MR 4 // Antibioterapia na prática clínica
Auditório

Numa altura em que escasseiam novos antibióticos e surgem na prática clínica novos desafios terapêuticos no que respeita a infeções bacterianas, torna-se fundamental o uso racional da farmacoterapia antibiótica que existe à disposição. Numa mesa redonda, dinâmica e interativa, pretende-se abordar questões frequentes e controversas da prática clínica diária, designadamente no que se refere ao tratamento das infeções mais prevalentes em Cuidados de Saúde Primários e em situações particulares, como o fim de vida.
O Prof. António Sarmento, a Dra. Margarida Mota e o Dr. André Santos Silva conduzirnos-ão numa viagem cujo destino será o uso conhecedor da antibioterapia.

Moderador
Prof. Dr. António Sarmento
Médico infecciologista no CHSJ

Palestrante
Dr.ª Margarida Mota
Coordenadora do GCL-PPCIRA e equipa PAPA do C.H.VNG/E. Assistente Graduada de Medicina Interna

Palestrante
Dr. André Santos Silva
Unidade de Cuidados Intensivos do Serviço de Doenças Infecciosas, no Hospital de S. João.
Consultor do Centro de Referência para a Tuberculose Multirresistente

Dr. Miguel Ruão

WS 1 // Patologia aguda em oftalmologia (Sala A)
Dr. Miguel Ruão – Médico Oftalmologista no Centro Hospitalar de Entre o Douro e Vouga

A patologia oftalmológica aguda é um motivo frequente de consulta nos cuidados de saúde primários (CSP), representando, pela sua diversidade, um desafio para os médicos de família.
Neste Workshop serão abordados os temas mais frequentemente encontrados nos CSP. A apresentação dividir-se-á em 3 temas: olho vermelho, traumatismos e perdas de acuidade visual. O tema olho vermelho está subdivido nas patologias que deverão ser tratadas nos CSP e nas que deverão ser encaminhados para o SU/consulta de oftalmologia. Em todas as patologias é apresentada de forma pratica qual o tratamento a instituir (fármacos, frequência e duração de tratamento).

WS 2 // Vertigem (Sala B.1)
Serviço ORL CHVNGE

As queixas de tonturas são um motivo frequente de consulta, sendo que a vertigem constitui uma das suas principais causas.
A anamnese é basilar para o diagnóstico diferencial, cujo principal desafio passa, muitas vezes, pela necessidade de distinção entre a origem central ou periférica da vertigem.
Além disto, a abordagem terapêutica inclui, não só fármacos, mas também manobras de reposicionamento otolítico, que se pretendem treinar durante este workshop, pois podem fazer a diferença na qualidade de vida do doente.
Conduzido por médicos do Serviço de Otorrinolaringologia do CHVNGE, este workshop atualiza, numa perspetiva efetivamente prática, a abordagem diagnóstica e terapêutica do doente com tontura.

WS 3 // Ortopedia Infantil – Patologias mais frequentes em idade pediátrica (Sala A)
Dr. Jorge Seabra – Ortopedista infantil, Ex – Responsável e Diretor do Serviço de Ortopedia do Hospital Pediátrico de Coimbra

A saúde infantil e juvenil é uma área importante de atuação da medicina geral e familiar, tendo o médico de família um papel privilegiado na identificação de patologia osteoarticular da criança e adolescente. Apesar da prevalência de algumas patologias, surgem, com frequência, dúvidas diagnósticas e de orientação, nomeadamente na necessidade de referenciação a consulta hospitalar.

Dado o sucesso das edições anteriores, o Dr. Jorge Seabra, autor dos livros “Conceitos Básicos de Ortopedia Infantil” e “Ortopedia infantil – o fundamental”, irá uma vez mais, com a sua experiência e sensibilidade, acompanhar-nos neste GeMMeeting 2018.

WS 4 // Desafios da insulinoterapia e análogos do GLP-1 (Sala B.1)
Dr. Luís Andrade – Serviço de Medicina Interna CHVNG/E

A diabetes mellitus afeta mais de 1 milhão de portugueses e, dada a sua prevalência na consulta, os médicos de família contactam regularmente com esta patologia. No entanto, na prática clínica diária, são várias as possibilidades terapêuticas e múltiplas as dúvidas que surgem no momento de prescrever. Neste Workshop pretende-se focar os análogos da GLP-1 e a insulinoterapia como possíveis armas terapêuticas.

WS 5 // Treino parental (Sala A)
Drª Sara Melo – Especialista em Psiquiatria da Infância e da Adolescência e responsável pela Consulta de Primeira Infância no CHVNG/E
Enf.ª Verónica Pereira – Enfermeira Especialista em Saúde Mental e Psiquiatria no Serviço de Psiquiatria da Infância e Adolescência do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho e pós-graduada em Enfermagem Avançada; Instrutora de Massagem Infantil

Este WS terá como principal objetivo melhorar competências do médico de família relativamente a questões colocadas frequentemente pelos pais, avós e outros cuidadores, na consulta de saúde infantil e juvenil. Pretende-se uma abordagem prática sobre educação/gestão de comportamentos, nomeadamente, o que fazer perante uma birra, os “castigos”, como brincar com a criança, como a preparar para a chegada do(a) irmão/irmã mais novo(a) e gestão de medos e anseios de filhos e pais. Este ano temos uma novidade, no seguimento de pedidos dos participantes de anos anteriores: irá ser um workshop dividido em 2 partes, possibilitando assim uma segunda parte totalmente prática.
Ambas as palestrantes dedicam a sua prática clínica hospitalar à 1ª Infância e desempenham funções de líder do Programa Básico para Pais da série “Anos Incríveis”. Pelas suas competências específicas e pela sua experiência, irão certamente esclarecer as principais dúvidas nesta área tão desafiante para todos.

WS 6 // Algaliação (Sala B.1)
Dra. Débora Catalão – Interna de Formação Específica de urologia do CHVNG/E
Dra. Daniela Araújo – Interna de Formação Específica de urologia do CHVNG/E

A algaliação urinária é um procedimento, tanto diagnóstico como terapêutico. A sua técnica básica é algo que está perfeitamente padronizada e aceite. No entanto, a sua execução correta não garante por si só o sucesso da algaliação, uma vez que este procedimento não é linear . A aparente simplicidade da sua execução oculta um grande número de variáveis teóricas e de situações práticas que se podem colocar diante de quem a executa. Foi para transpor algumas situações mais difíceis e delicadas que realizamos este workshop, para o sucesso em algaliações e gerir com eficácia muitas das complicações associadas a esta prática.

WS 7 // Paliar a dor (Sala B.1)
Dr.ª Edna Gonçalves – Diretora do Serviço de Cuidados Paliativos do Centro Hospitalar São João, Presidente da Comissão Nacional de Cuidados Paliativos

Os Cuidados Paliativos visam melhorar a qualidade de vida dos doentes e suas famílias, através da prevenção e alívio do sofrimento nas suas diversas dimensões: física, psicológica, social e espiritual. Entre os sintomas físicos, a dor revela-se como o mais frequente entre eles e embora partilhe estratégias comuns ao controlo da dor na população geral, a abordagem em doentes paliativos apresenta aspetos diferenciadores. Assim, beneficiando da ampla experiência da formadora convidada, nesta sessão pretende-se discutir a abordagem da dor seguindo os princípios gerais de controlo sintomático desta tipologia de cuidados.

WS 8 // Desafios na menopausa: terapêutica hormonal (Sala A)
Dr.ª Tânia Ascensão – Interna de Ginecologia e Obstetrícia na Maternidade Bissaya Barreto

O número de mulheres em pós-menopausa é crescente e cada mulher vive progressivamente mais tempo nessa fase da sua vida, sofrendo as consequências precoces e tardias da sua situação fisiológica. Não é legítimo que não estejamos aptos a oferecer-lhes o melhor. Este WS é um contributo para que esse objetivo seja diariamente alcançado por todos nós.

A terapêutica hormonal é segura? Em que situações está recomendada e em que duração? Quais os seus benefícios e riscos? A Dra. Tânia Ascensão irá responder a estas e outras questões práticas, desmistificando o tema da abordagem da menopausa e esclarecendo os receios associados à terapêutica hormonal.

WS 9 // Certificados de Incapacidade Temporária e Atestados Médicos (Sala B.1)
Dr.ª Maria Teresa Menezes – Diretora do Núcleo de Prestações por Doença e Outras da Unidade de Prestações do Centro Distrital do Porto
Dr. José Calado – Assessor Técnico de Coordenação Médica do Núcleo de Verificação de Incapacidades do Centro Distrital do Porto da Segurança Social
Dr.ª Ana Penas – Médica de família na UCSP de Paredes

A lista de processos burocráticos associados à consulta de medicina geral e familiar é extensa e complexa, dificultando a organização da consulta e a gestão do tempo. Este WS tem como objetivo simplificar este processo, visando a transmissão das competências básicas na gestão destes documentos, nomeadamente no que respeita aos certificados de incapacidade temporária (CIT) e atestados. Permitirá ainda a articulação com a Segurança Social através da participação de representantes do Núcleo de Verificação de Incapacidades.

WS 10 // Interpretação Clínica de Hemograma
Bruno Loureiro
Diana Pinto
Sara Barbosa
Telma Tavares

O hemograma constitui uma ferramenta bastante útil na prática clínica, sendo um meio complementar de diagnóstico de primeira linha na avaliação de doença sistémica ou da função medular e frequentemente requisitado pelo Médico de Família. Através da sua correta interpretação e correlação com a clínica, fornece informação imprescindível, permitindo, na maioria dos casos, chegar a um diagnóstico sem necessidade de mais investigação.

Neste workshop serão interpretadas alterações nos parâmetro eritrocitários, leucocitários e plaquetários, com especial ênfase na distinção entre alterações benignas e malignas, com auxilio a casos clínicos, de forma a proporcionar uma dinâmica mais prática. Serão também abordados os principais sinais de alarme, tendo em conta o contexto clínico, bem como critérios de referenciação à consulta hospitalar.

WS 11 // Para além da hipocoagulação (Sala B.1)
Dr. Eduardo Vilela – Interno de formação específica em cardiologia no CHVNG/E e investigador no departamento de Medicina da FMUP

As patologias do foro cardiovascular apresentam uma prevalência significativa. Os cuidados de saúde primários têm um papel central na avaliação e orientação inicial destes doentes, assim como no seu seguimento a longo prazo. A crescente diversidade de meios de diagnóstico e terapêutica, assim como a presença de diferentes co-morbilidades podem, contudo, tornar complexa a abordagem destas patologias, reforçando a necessidade de formação nesta área. Este workshop baseia-se na abordagem de casos clínicos atuais, representativos e frequentes a nível dos cuidados de saúde primários. Tem por objetivo esclarecer questões práticas do dia-a-dia referentes à avaliação e orientação de situações clínicas como a dor torácica / suspeita de angor, fibrilhação auricular, presença de extrassistolia, entre outros conteúdos.

WS 12 // Exame prático final (Auditório)
Dr. Bruno Reis – Recém-especialista de MGF, a exercer funções na USF de St.º André de Canidelo
Dr. Daniel Beirão – Especialista de MGF no Hospital da Luz Guimarães, pós-graduado em Medicina do Doente Crítico e colaborador do departamento MEDCIDS da FMUP
Dr.ª Helena Marques – Recém-especialista de MGF, a exercer funções na USF São Félix-Perosinho
Dr.ª Joana Almeida – Recém-especialista de MGF, a exercer funções na USF Barão do Corvo
Dr.ª Margarida Carvalho – Recém-especialista de MGF, a exercer funções na USF Anta
Dr.ª Raquel Barros – Recém-especialista de MGF, na USF St.º André de Canidelo

Nos últimos tempos, o exame final de internato tem sido alvo de grande debate, tendo a componente prática um importante papel nesse assunto.
Desta forma, o futuro dos atuais internos de formação específica de MGF será ditado, em parte, pelo exame prático final. Com as recentes alterações, diversas são as dúvidas relativas à organização e estruturação do mesmo, pelo que o contacto prévio com este modelo constitui uma mais-valia para a formação dos internos de MGF.

Com este workshop terás a oportunidade de assistir a uma “gincana” de casos clínicos, representativa daquilo que poderá ser o teu exame prático final, com recém-especialistas que fizeram o exame recentemente.

Regulamento de Submissão de Resumos

01. Submissão de Resumos

Os resumos das comunicações orais e pósteres devem ser enviados em suporte digital para eventos@lab52.pt através do template disponibilizado para download no final das regras.

Deverão ser preenchidos todos os campos obrigatórios, tendo em atenção que o conteúdo do resumo não deverá ter a identificação de nenhum dos autores ou fazer alusão a qualquer outro dado que possa comprometer o anonimato. Serão excluídos resumos manuscritos ou enviados em suporte diferente do anteriormente exposto.

A data limite de envio de resumos terminará às 23h59 do dia 10 de Agosto de 2018 Serão notificados todos os autores até ao dia 31 de Agosto de 2018.

Cada resumo poderá conter até um máximo de 2500 caracteres, incluídos espaços, respeitando o acordo ortográfico em vigor. O título do trabalho e respetivos autores terão campo próprio para preenchimento.

Consoante a temática escolhida, os autores deverão respeitar a seguinte estrutura:

  • Investigação – Introdução e objetivo(s), Metodologia, Resultados e Discussão.
  • Revisão de Tema – Introdução e objetivo(s), Metodologia, Resultados, Discussão.
  • Relato de Caso – Enquadramento, Descrição de Caso e Discussão.
  • Melhoria Contínua da Qualidade – Justificação, Objetivo(s), Métodos, Resultados (mínimo duas avaliações) e Discussão.
  • Relato de Prática – Relatos de experiências da prática médica diária, não exclusiva nem obrigatoriamente relacionados com questões clínicas e/ou técnico-científicas, por exemplo relatos de boas práticas, atividades na comunidade, atividades e relações interpares e interprofissionais, relatos de intercâmbios ou estágios com particularidades que mereçam ser divulgadas. A estrutura de apresentação deverá ser: Enquadramento, Objetivo(s), Descrição, Discussão.
  • Protocolos – Apresentação e discussão de protocolos de investigação ou melhoria contínua da qualidade, em fase de Projeto ou ainda não concluídos. A estrutura de apresentação deverá ser: Introdução, Objetivo(s), Métodos, e Discussão.

À Comissão Científica reserva-se o direito de, durante a avaliação dos resumos submetidos, propor ao(s) autor(es) a alteração da modalidade previamente selecionada pelo(s) mesmo(s).

02. Regras para apresentação de Comunicações Livres

a. Comunicação Oral

O autor deverá respeitar um tempo máximo de apresentação de 10 minutos, seguidos de 5 minutos para discussão. É da total responsabilidade do(s) autor(es) a garantia de viabilidade e transporte para o evento do dispositivo informático com o conteúdo do seu trabalho, devendo fazer-se apresentar com o mesmo 15 minutos antes do início da sessão de comunicações orais.

b. Comunicação em Póster

As comunicações em póster deverão respeitar as seguintes regras:

  • Organização vertical;
  • Dimensões: 90 x 120 cm;
  • Distância mínima de leitura do seu conteúdo: 1,5 metros.

Cabe aos autores o transporte e afixação dos respetivos trabalhos em formato papel até às 11 horas do dia 13 de setembro (primeiro dia do evento). Caso o horário não seja respeitado, o trabalho será automaticamente excluído da seleção para prémio de melhor Comunicação em Póster.

03. Condições para apresentação de trabalhos

É condição obrigatória para a apresentação de comunicações livres a inscrição e presença de pelo menos um dos autores. A apresentação das mesmas deverá também ser realizada por um dos autores.

A originalidade, a precisão da pesquisa e dos resultados do trabalho final são da exclusiva responsabilidade do(s) autor(es).

Ao inscrever o seu trabalho, o(s) autor(es) automaticamente cedem à Comissão Organizadora os direitos de edição e divulgação dos respetivos resumos para eventual publicação impressa ou digital.

04. Prémios e Júri

É constituído um júri de seleção de resumos e de apreciação das apresentações. A composição do júri de seleção e apreciação é da responsabilidade da Comissão Científica do Congresso.

É instituído um prémio destinado à melhor Comunicação Oral e um prémio à melhor Comunicação em Poster.

Os prémios e respetivos certificados serão entregues aos autores presentes na cerimónia de encerramento.

Regulamento de Submissão ao Workshop

O resumo deve ser enviado em suporte digital para eventos@lab52.pt através do template disponibilizado para download no final das regras.

Deverão ser preenchidos todos os campos obrigatórios, tendo em atenção que o conteúdo do resumo não deverá conter a identificação de nenhum dos autores ou fazer alusão a qualquer outro dado que possa comprometer o anonimato. Também serão excluídos resumos manuscritos ou enviados em suporte diferente do anteriormente exposto.

data limite de envio de resumos terminará às 23h59m do dia 10 de Agosto de 2018. Serão notificados todos os autores até ao dia 31 de Agosto de 2018.

Cada resumo poderá conter até um máximo de 2500 caracteres, incluídos espaços, respeitando o acordo ortográfico em vigor. O título do trabalho e respetivos autores terão campo próprio para preenchimento.

O resumo deverá ser apresentado sob a seguinte estrutura:

  • Introdução: justificação e pertinência do workshop;
  • Objetivos de aprendizagem: finalidade e resultados previstos;
  • Metodologia: aspetos organizativos e conteúdos;
  • Discussão: impacto previsto do workshop na Medicina Geral e Familiar.

O workshop terá a duração de 90 minutos, em sala própria, para um número máximo de 30 formandos.

Qualquer material necessário deverá ser requisitado e sujeito a confirmação de disponibilidade por parte da organização.

O(s) preletor(es) deverá(ão) estar inscrito(s) no GEMMeeting 2018.

Científico

Mafalda Oliveira

USF St. André de Canidelo

Maria Ferreira

USF Nova Via

Comunicação & Imagem

Catarina Vieira

USF Camélias

Marisa Barros

USF Camélias

Cátia Palha

USF Camélias

Miguel Gouveia

USF Nova Via

Fundraising

Débora Fonseca

USF Além D’Ouro

Alexandra Rafael

USF Arco do Prado

Cátia Lírio

USF Camélias

Sara Fernandes

USF Nova Via

Joana Cirne

USF S. Miguel

Tiago Corte Real

USF Arco do Prado

Comissão de Festas e Gratificações

Gisela M. Santos

USF Nova Via

Carla Carneiro

USF Anta

Pedro Castro

UCSP Crestuma

Isabel Melo

USF Anta

Marta Pinheiro

USF Nova Via

Sara Miranda

USF Espinho

Andreia Pinto

USF S. Miguel

Secretariado

Soraia Santos

USF Espinho

Diana Soares

USF Abel Salazar

Ana Filipa Duarte

USF Nova Via

Daniela Catalão

USF Canelas

Científica

Dr.ª Helena Milheiro

Júri Workshop

Dr.ª Andrea Lobão

Júri Workshop

Dr.ª Ana Costa Cabral

Júri Workshop

Dr.ª Ana Paula Lemos

Júri Poster

Dr.ª Isabel Ribeiro

Júri Poster

Dr.ª Diana Martins

Júri Poster

Prof. Dr. Luís Alves

Júri Comunicação Oral

Prof.ª Dr.ª Luciana Couto

Júri Comunicação Oral

Dr. Martinho Almeida

Júri Comunicação Oral

Dr.ª Ângela Teixeira

Prof.ª Luísa Sá

Dr.ª Elvira Pinto

Dr. Manuel Sousa

Patrocinadores

Científicos

Organização

Facebook

Ligia Silva

(+351) 914 592 380

Jorge Pimentel

(+351) 911 542 716

Email

eventos@lab52.pt

INSCRIÇÕES ENCERRADAS!

Agradecemos o interesse manifestado no GEMMeeting.

Infelizmente não será possível submeter mais inscrições.

Obrigado.